Editorial

Traducido de:
Ligne éditoriale
Otra(s) traducción(es):
Editorial line
Línea editorial
Linea editoriale

A revista Condition humaine / Conditions politiques propõe elaborar e divulgar pesquisas francesas e internacionais dedicadas a leituras antropológicas da política no mundo contemporâneo.

Essas leituras estão marcadas por transformações planetárias importantes (ecológicas, sociais, digitais, econômicas, etc.), que reconfiguram o estar no mundo e, consequentemente, a ideia de humano como sujeito individual e coletivo. Os mundos contemporâneos mostram a emergência de novas formas de política, que supostamente governam essas transformações e demandam repensar o objeto “política” além de suas fronteiras. Desde as formas de contestação novas ou antigas – como as insurgências populares – á imaginação de formas alternativas para o futuro – como essa de novas autonomias, passando pela reconfiguração do Estado e de outros atores de governo, no momento da globalização de normas e fluxos, mas também de turbulências e rupturas, o objetivo é promover análises em que a antropologia, associada a outras disciplinas afins, pode oferecer dessas transformações radicais e dessas reformulações da política.

Entretanto, no panorama editorial científico francês, este “outro” conhecimento sobre política é disperso e pouco visível.

A Condition humaine / Conditions politiques propõe, portanto, mobilizar e pôr em movimento os métodos, abordagens e conceitos de antropologia política. Dessa forma, ela está ligada ao método etnográfico, ao conhecimento etnológico e histórico, tanto do distante quanto do próximo, também à comparação antropológica. Além disso, suas fronteiras disciplinares são compartilhadas com outras ciências sociais e humanas, história e política.

É colocando a antropologia em diálogo com todos os universos culturais ou acadêmicos que a utilizam ou esperam que ela forneça pistas, sugestões e instrumentos para captar as transformações políticas de nossas sociedades que responderemos às exigências intelectuais e científicas do presente. Acolhemos a ciência política, que busca uma ancoragem etnográfica e uma leitura muito bem situada e comprometida da política nas esferas social e cultural; a história, que reflete sobre a alternância de sedimentações e rupturas, e sobre as formas complexas do tempo; a filosofia, que une forças com ela para reformular os conceitos de política em um mundo em turbilhão; e a geografia, que a encontra na análise da interação das escalas e nas articulações e desarticulações simbólicas e materiais do espaço. Ou ainda, as ciências ambientais na época do Antropoceno; as ciências religiosas na época de novos milenarismos; a economia, na época de grandes desigualdades e exigências para a ressignificação social dos vínculos econômicos. Muito importante ressaltar que não negligenciaremos o conhecimento local, indígena ou popular. Estaremos atentas(os) à opinião pública e a tudo que contribui para instituir, no presente e no futuro, a produção social de um conhecimento ou de uma inteligência coletiva sobre a convivência e os destinos comuns.

Na produção de artigos e ensaios para Condition humaine / Conditions politiques, há uma ressonância ou dissonância entre os conhecimentos disciplinares instituídos e a indisciplina do mundo e do presente; entre o médio e longo prazo da pesquisa e os tempos das exigências sociais e dos campos estudados; entre a descompartimentação da tradição disciplinar francófona e o diálogo com o pensamento internacional, assim como com “outras” tradições (menores, subalternas, pós-coloniais ou simplesmente imersas em outras línguas ou universos culturais).

Para este fim, a revista publica em francês e em vários idiomas de circulação europeia e intercontinental (inglês, espanhol, italiano, português), reforçando os artigos com resumos longos traduzidos em francês e inglês.